A indiferença política na Câmara dos Deputados pode votar a proposta de transferência de bingo para o próximo governo, de acordo com o deputado Aelton Freitas analisados (PR-MG), editor da proposta, que já obteve parecer favorável da Comissão de Finanças e Impostos.

Embora o assunto tem mobilizado racks políticos, bem como a presidência da Casa, que realizou duas audiências públicas em março, as propostas de transformação perdeu as forças devido à inserção de projetos urgentes, por isso foi colocado no final do linha.

“Se houvesse interesse da Mesa Diretora e líderes para retomar a discussão e colocar o projeto dentro do cronograma, a decisão sobre o retorno do bingo será tomada pelo próximo governo”, disse o deputado.

Cerca de quatro mil casas de bingo foram fechadas em fevereiro de 2004 por decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, devido a alegações de corrupção e branqueamento de capitais.

Enquanto se aguarda por meses na Justiça Federal, o projeto recebeu aprovação da Comissão de Constituição e Justiça, que determinou o encaminhamento dos impostos para a saúde, educação e cultura. O retorno do bingo pode gerar até 250 000 novos postos de trabalho em Basil.

Jornal da Manhã