O presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, coloque a questão no padrão de votação de todo o debate e logo após as manifestações do governo.
Ele acrescentou que irá convidar os representantes dos ministérios das Finanças e da Justiça, a Reserva Federal, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), e presidentes de associações de bingos.

De acordo com o presidente da Câmara debate após as manifestações do governo e vai colocar a matéria em votação o padrão do todo.

A sessão plenária da Câmara pode ser transformado em comissão geral para discutir o assunto relevante, projeto de iniciativa popular ou para ouvir o Ministro de Estado. A diferença entre os debates durante a votação da matéria em geral e da comissão é que, nessas ocasiões, além de representantes são convidados a expor os representantes da sociedade relacionados com o assunto em discussão.

A substituição que atende oito projetos sobre as salas de jogo (270/03, 1986-1903, 2999/04, 3492/04, 2429/07, 2944/04, 3489/08 e 2254/07) está pronto para ser votado Plenário, mas aguarda o consenso dos líderes.

A regulamentação do bingo é uma das prioridades definidas pelos líderes, mas a proposta divide opiniões na Câmara. Os líderes do DEM, PSDB, PHS e PSOL são contra e os deputados de outros partidos também criticam o caráter de prioridfad que foi dada ao assunto.

O editor do projeto, deputado Regis de Oliveira (PSC-SP), disse que está preparado para defender em plenário a aprovação da proposta, incluindo, sempre no padrão. Oliveira acredita que a legalização do bingo vai aumentar as receitas públicas e gerou cerca de 250 000 novos empregos.