O deputado João Dado (PDT-SP), que elaborou o bingo Comissão de Finanças e Tributos (CFT), disse que as críticas são baseadas em modelos anteriores, e não o que está sendo proposto para os jogos no Brasil .
Segundo Dado, os vencedores devem ser qualificados pela FPC, além de que “todas as máquinas que serão monitoradas em tempo real, os impostos serão maiores do país, e quem quisesse lavar o dinheiro, vai pagar caro por isso”, afirmou.

Um advogado, um professor em Direito Tributário (PUC / SO) e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Nelson JR Trombino. informações confirmam o Editor de Projetos da CFT Bingos: “Não há dúvida sobre isso. O imposto de 30% sobre o prêmio IRRF invializa qualquer operação de lavagem pelo jogador.

Já o proprietário do bingo, além da pesada carga tributária recai sobre a oferta de entretenimento do público, ele ainda requer análises jurídicas (no projeto de lei também foram melhorados). Já a capa em si é um problema que deve ser enfrentado, com uma legislação mais clara em relação à base de cálculo, tanto a nível federal e municipal “, disse ele.
BNL Magocom (Brasil)